quarta-feira, 15 de Agosto de 2012

Especialidades de Sementes


Especialidade de Sementes


1- Qual o principal objetivo de uma semente?
R= Diferente dos animais, as plantas são limitadas em sua habilidade de procurar condições favoráveis para sua vida e crescimento. Como conseqüência, elas desenvolveram muitas maneiras de dispersão e distribuição da sua população através das sementes. Uma semente precisa chegar de alguma maneira a um local e precisa estar lá enquanto haja condições favoráveis à germinação e crescimento. Em alguns casos as propriedades que contribuem com este movimento das próximas gerações para longe da planta mãe estão mais ligadas a propriedades do fruto do que da semente e, em alguns casos, a uma mistura dos dois.
            As sementes também possuem um mecanismo de proteção da próxima geração, evitando que a planta germine em condições desfavoráveis ao crescimento. Em áreas de invernos rigorosos, as sementes podem passar o inverno todo debaixo da neve, dormentes, só germinando na primavera. Esta mesma propriedade forma o banco de sementes em algumas florestas: as sementes ficam no solo até que alguma árvore mais velha caia e abra uma clareira, permitindo que a luz entre e novas sementes germinem. Em muitas espécies a estratégia é a mais simples: produzir o maior número de sementes. Esta estratégia funciona, mas exige o investimento de uma grande quantidade de energia por parte da planta, de forma que a relação custo-benefício pode ficar próxima da produção de poucas sementes altamente especializadas. Mas em resumo podemos dizer que, Sua principal função é dar origem a uma nova planta, garantida a propagação da espécie.
2- Que alimentos foram dados primeiramente ao homem no Jardim do Éden?
R= E disse Deus: Eis que vos tenho dado toda a erva que dê semente, que está sobre a face de toda a terra; e toda a árvore, em que há fruto que dê semente, ser-vos-á para mantimento. Gen.1: 29.
3- Identificar a partir de uma semente, ou desenho da mesma, e saber o propósito de cada uma destas partes de uma semente: tegumento, cotilédone e embrião (germe).


Partes da Semente
Tegumento: é o envoltório protetor da semente, originário do óvulo.
                        Sua resistência em geral, relaciona-se com a consistência do pericarpo.
                        Em algumas sementes, o tegumento é constituído por duas partes:
                          a testa, que é externa e espessa, e o tegmen, que é a parte  interna, mais delgada.
Embrião: é a parte principal da semente. Sabemos que o embrião é o responsável pela origem do novo vegetal, quando há germinação da semente. Efetivamente, o embrião é um verdadeiro vegetal em estado potencial, com seus órgãos rudimentares, representados pela radícula, caulículo e gêmula.
   A radícula dá origem há raiz, enquanto que, o caulículo origina o colo ou nó vital (região de transição entre a raiz e o caule); a gêmula se responsabiliza pelo desenvolvimento do caule e das folhas.
Os cotilédones são folhas modificadas que se traduzem em reservatórios de alimentos, utilizados pelo vegetal nos primórdios do seu desenvolvimento.

4- Conhecer quatro diferentes métodos pelos quais as sementes se espalham pela planta. Mencionar três tipos de plantas que espalham suas sementes por cada método.
R=
1- ANIMAIS (zoocoria)
é a dispersão do fruto por animais, que após a semente ser passada pelo tubo digestivo do animal, sem sofrer nenhum dano, são espalhadas. Esta ainda pode ser dividida, conforme a dieta alimentar de alguns animais: diszoocoria (feita por roedores), ornitocoria (feita por aves) e quiropterocoria (morcegos), entre outras.
               
 Exemplo : Jaracatiá, Figueira, Jambo, Inajá,  Embaúca, Guanandi, Ingazeiro, framboesa, flores em geral.  
2- VENTO (Anemocoria)
sementes dispersas pelo vento, neste caso, os frutos apresentam alas, as quais são formadas por partes do perianto, permitindo que o fruto seja levado de um lugar para outro.

Exemplo: Guarantã, Louro branco, Espeteiro, Tauari,  Ajusta conta,  Angelim,  Jacarandá, Cedrinho, Novateiro, Escorrega macaco, Pau terra, dente de leão.
3- ÁGUA (Hidrocória)
A) das chuvas - enxurradas - pluviobalísticos (em regiões secas, onde a umidade provoca a balística).
 B) correntes de água - transporte submerso, onde a Correnteza atua sobre estruturas como pelos (Pepis) ou arilóides (Nymphaea alba). – diásporos flutuantes: com peso específico baixo, devido à leveza do endosperma, espaços aéreos internos ou tecidos suberosos. Em água salgada, os diásporos são mais pesados. Ex. coco da Bahia (Cocus nucifera). Características: endocarpo duro protege o embrião; mesocarpo fibroso serve para flutuação; endosperma líquido é a provisão nutritiva.
4- HOMEN (Antropocórica)
Exemplo:  Diversas as mais conhecidas ,  trigo, soja, milho, feijão
5- Próprio vegetal (Bolocórica)
- é a disseminação do fruto pelo seu próprio peso, e secundariamente é dispersa por animais. Exemplo:  jauari (um tipo de palmeira)
Abrem com pressão lançando à distância (beijo-de-frade)
6- Solo (Geocárpica)
Os pedúnculos, após a fecundação, enterram os frutos no solo onde madurecem (amendoim)
Tipos de planta e seus métodos:
Vento: Dente de leão, Rosa de Jerico
Agua: Vitória regia.
Animais: Jaracatiá, Figueira, Jambo, Inajá,  Embauca, Guanadi, Ingazeiro, framboesa, flores em geral.  
Solo: Amendoim
Homem: trigo, soja, milho, feijão.
Vegetal: Jaguari, Beijo de frade.
5- Conhecer dez tipos de sementes que usamos como alimento.
R= Arroz, Feijão, Soja, Amendoim, grão de bico, lentilha, castanha, ervilha, trigo, aveia e milho.
6- Conhecer cinco tipos de sementes que são usadas como fonte de óleo.

SOJA: 



  • Para o consumo humano, os óleos de soja, palma, canola girassol, amendoim, algodão, arroz, gergelim, oliva, milho, são de interesse já que possuem alto teor de gorduras insaturadas.
  • óleo de soja é o óleo vegetal mais consumido no mundo. A soja é atualmente a mais importante oleaginosa produzida no Brasil cuja produção em 2006 foi estimada em 57 milhões de toneladas. No comércio exterior o complexo soja (óleo, farelo e grão) movimenta mais de 5 bilhões de dólares.
  • A importância da soja no mercado internacional deve-se a sua proteína de alto valor nutritivo que possibilita a comercialização do óleo em grande escala e preços atraentes. O farelo resultante da extração representa 60% da  renda obtida no processamento do grão.
  • O óleo de soja, devido ao seu baixo preço, é um dos mais utilizados na indústria de alimentos em especial para fabricação de gorduras hidrogenadas.

  • O óleo bruto é rico em lecitina que é removida durante o refino e posteriormente recuperada e usada na indústria de alimentos como um emulsificante natural. A lecitina é também encapsulada e vendida como produto farmacêutico.
PALMA: 
  • Da semente se extrai o óleo de palmiste rico em ácido graxo láurico e bastante utilizado na indústria de detergentes. O óleo de palmiste é extraído com solvente orgânico
  • O processamento da polpa é realizado através da prensagem do fruto em prensas hidráulicas produzindo um óleo virgem (azeite de dendê).
COLZA: 



  • A colza é a terceira oleaginosa mais produzida em todo o mundo superada apenas pela soja e palma. Durante muito tempo esteve associada ao consumo animal e sua toxicidade para os seres humanos era bem conhecida, devido ao alto teor de ácido erúcico e glucosinolatos.
GIRASSOL: 
  • O óleo de girassol (sunflower oil) é geralmente utilizado na produção de cremes vegetais, maionese, produtos de panificação, entre outros, pois seu conteúdo de gordura saturada é mais baixo do que os óleos de milho e de soja.
  • O girassol é cultivado em várias regiões do mundo, com destaque para Rússia, Argentina, Hungria e Estados Unidos. O cultivo do girassol, apesar da planta ter sido domesticada há cerca de 5000 anos, só foi introduzida na América do Sul no século XIX. A Argentina é o  maior produtor mundial do grão.
  • A produção mundial do girassol vem crescendo nos últimos anos, tendo alcançado em 2005 a faixa de 30 milhões de toneladas. Isto se deve às características especiais da semente e do óleo com diversas aplicações na formulação de produtos alimentícios como uma fonte importante de proteínas e de óleo vegetal.  
  • AMENDOIM:  

    A importância econômica do amendoim está relacionada ao fato das sementes serem ricas em óleo (aproximadamente 50%) e proteína (22 a 30%). Além disso contém carboidratos, sais  minerais e vitaminas, constituindo-se num alimento altamente energético (585 calorias/100 g/sementes).
    O óleo de amendoim (peanuts oil) é fonte das vitaminas lipossolúveis A (betacaroteno), D (pró-vitaminas D, alguns esteróis) e E (tocoferóis).           O sabor agradável torna o amendoim  um produto destinado também ao consumo "in natura.

    GERGELIM:  
              O gergelim é uma cultura importante, além de ser uma fonte de óleo é usado como alimento humano de excelente conteúdo nutritivo.
              O óleo da semente torrada tem um aroma especial, sabor suave e agradável sendo indicado para consumo em saladas, margarinas, cremes e produtos de panificação
     OLIVA:

     
    azeite de oliva é obtido por prensagem da polpa do fruto da oliveira (azeitona).
              Quando produzido a partir de frutos frescos e maduros apresenta aroma e sabor bastante delicados, sendo por esta razão consumido in natura como óleo para saladas.
              Em geral, não necessita de refino e por isso é denominado virgem e conserva todos os seus nutrientes naturais. Por vários milênios os azeite de oliva tem sido consumido na região do mediterrâneo.
              Devido principalmente ao seu aroma é um alimento importante na dieta humana em todo o mundo.
    ÓLEO DE SEMENTE GERGELIM:

              A semente de gergelim possui em média 45 a 63% de óleo. A principal característica do óleo de gergelim é sua elevada estabilidade oxidativa devido à presença de antioxidantes naturais, sesamina e sesamolina.
              O óleo de gergelim (sesame oil) é indicado para diferentes usos:
              Proporciona benefícios à saúde devido à sua composição em antioxidantes naturais: vitaminas A, B e E.
              É rico em minerais: ferro, cálcio, magnésio, cobre, silício e fósforo.
              Contém ácido linoleico e lecitinas, o que pode explicar sua indicação para tratamento de doenças nervosas e para redução de colesterol pois é consumido virgem (prensado).
              Apresenta também propriedades anti-bacteriana e anti-cancerígena

    Outras Fontes comuns de óleos vegetais incluem:
    Caju ,semente do ricínio - óleo de ricíniobeto, sementa da linhaça - óleo de linhaça
    Semente da uva - óleo de uva, semente de cânhamo - óleo de cânhamo, mostarda,
    Semente da papoila - óleo de papoila, semente de sésamo - óleo de sésamo, amêndoa, alperce, abacate, milho - óleo de milho, algodão, côco - óleo de côco, avelã, neem, azeitona – azeite, palma - óleo de palma.

    7- Conhecer cinco tipos de sementes que são usadas como condimentos.

    Funcho (Foeniculum vulgare)
    Estas delicadas sementes, de gosto adocicado, são usadas em pratos com molho de caril, e são boas em   pratos de legumes e feijão seco guisados e em certos bolos        

    Mostarda (Brassica sinapis )

    A mostarda pode ser consumida na forma de sementes, em pó ou na forma de pastas. As sementes podem ser brancas, pretas ou castanhas; estas últimas contêm os óleos mais picantes e são geralmente usadas nos pratos indianos, mas podem dar gosto também a estufados de criação, caça ou carne de porco. A mostarda inteira em boiões (“à antiga”) é útil para misturar em molhos cremosos e condimentar bifes.
    Com a mostarda são preparados vários condimentos muito picantes, é também usado como remédio, em cataplasmas. Pode ser utilizada em molhos para carnes e saladas, ou na forma de pasta, com frios, embutidos e sanduíches.

    ►Sementes de aipo (salsão) - são sementes de sabor amargo que devem ser usadas com moderação em pratos salgados.
    ►        Semente de anis - são pequenas sementes ovais de sabor picante usadas tanto em pratos doces como salgados.
    ►        Sementes de cominho - as sementes possuem um aroma forte e adocicado e sabor relativamente picante.
    ►        Sementes de gergelim - as vagens contêm um grande número de pequenas sementes. O ideal é torrá-las até que estejam douradas.
    ►        Sementes de erva-doce - com sabor picante e levemente amargo as sementes de erva-doce são usadas em carnes e peixes.
    ►        Sementes de mostarda - a mostarda serve como condimento e aromatizante. Há três variedade principais de mostarda: preta, marrom e branca.
    ►        Sementes de papoula - as sementes duras e pequenas são suaves e adocicadas.
    8- Que condições são necessárias para uma semente brotar?
    Germinação da Semente
       Chama-se germinação ao conjunto de fenômenos que ocorrem na semente, para dar origem a um novo vegetal, ou seja é o crescimento do embrião e a formação de uma nova planta da mesma espécie.
          Na germinação da semente, interferem fatores que são divididos em dois grupos: fatores externos e fatores internos.
    Condições para que ocorra a germinação:
    1.Semente deve estar perfeita e madura;
    2.Água no solo;
    3. Solo arejado;
    4. Luz solar;
    5. Calor: cada espécie tem uma temperatura ótima para a germinação.
    Passos da germinação:
    1. Absorção de água pela semente;
    2. Rompimento da casca pelo aumento de volume da semente;
    3. Saída da radícula por geotropismo positivo, penetrando no solo, onde se ramifica transformando-se em sistema radicial;
    4. Do lado oposta sai o caulículo por geotropismo negativo, transformando-se no caule e folhas.
    A semente e a dormência
                Muitas sementes não germinam, mesmo que as condições ambientais citadas sejam adequadas. Neste caso, diz-se que elas se encontram em estado de dormência. Para germinar, precisam de outras condições, que podem variar de uma espécie para outra. Sementes de certas variedades de alface, por exemplo, só germinam em presença de luz. Já as sementes de certas variedades de melancia só germinam no escuro. Para quebrar a dormência das sementes da leucena (uma leguminosa), elas devem ser colocadas em água quente durante alguns minutos.
    9- Fazer uma coleção de trinta diferentes tipos de sementes, vinte das quais tenham sido encontradas por você mesmo. Identificar cada uma com o nome, data e local em que foi encontrada, e nome da pessoa que a encontrou. Você poderá colá-las em um papel cartolina ou cartão, ou colocá-las em frascos transparentes.


                                                                       





Sem comentários:

Enviar um comentário